Sunday, July 4, 2010

História do Sintetizador: O verdadeiro som dos 60s


Nos anos 60,o objectivo do sintetizador era criar,literalmente sintetizar novos sons a partir de elementos-chave como a tonalidade,timbre e envolvente.
A samplagem ainda não existia no dicionário da tecnologia da música,mas pessoas como Henry Chamberlin,da Califórnia,andavam a fazer tentativas para oferecer ao teclista sons de instrumentos acústicos reais,fazendo uso de gravações em fita de notas sustidas e padrões de ritmos que podiam ser retirados de um teclado.
Chamberlin embarcou neste projeto nos anos 50,se bem que o Rythmate M1 e M2 e o Musicmaster só tenham sido produzidos no início dos anos 60.Eram todos notoriamente temperamentais.Á parte alguns utilizadores notáveis,depois de alguns anos passados(Bowie e Eno no álbum "Low" de Bowie),o argumento principal de Chamberlin foi que a sua invenção serviu de "modelo"ao primeiro aparelhoI de emulação, o Mellotron.
Os Mellotrons eram feitos com a marca da Streetly Electronics por um trio de irmãos chamados Bradley.
Tal como nas criações de Chamberlin,os Mellotrons utilizam gravações em fita de pessoas a "sério",a tocar instrumentos a "sério".
O primeiro instrumento apareceu em 1962,se bem que só tenha sido em 1964 que o Mellotron passou para as listas de compras do Beatles,dos Rolling Stones,Moody Blues,etc.,etc.

Com a sua grande e longa caixa de madeira,o MKII parecia uma peça de mobília de igreja.Tem dois teclados colocados lado a lado e grandes botões de controlo.O teclado da esquerda acciona os ritmos gravados e padrões de acompanhamento,enquanto o direito está reservado para os tons usuais,dos quais seis podem ser seleccionados via botões de empurrar,no painel de controlo.
O sistema inclui a sua própria amplificação e reverberação de molas.
Para os teclistas medianamente ricos chegou mais tarde o Model 400,produzido 1970.
Neste instrumento manual,só 3 sons podem ser acedidos ao mesmo tempo num só banco de fitas gravadas.Não tem amplificação interna ou reverberação,se bem que possa alterar o volume,tonalidade e velocidade de fita.
Tocar um verdadeiro Mellotron é uma verdadeira arte.Os acidentes acontecem frequentemente(fitas encravadas,ou a afinação que começa a oscilar)e até o pequeno Model 400 é um caso sério.
É por isso que quem preferir actualmente utilizar os samples de um Mellotron tem de utilizar os 8 segundos completos de som gravado.Se não,não vai soar a Mellotron.
As quebras de som e as mudanças de timbre,não são parte da sua personalidade,"são"a sua própria personalidade.

No comments:

Post a Comment